terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Recenseamento, Matrícula, Frequência

As relações entre Fotografia e legenda são alvo de análise há muito(Susan Sontag, por exemplo, escreveu umas valentes linhas sobre o assunto). Mas continuam a fazer-nos pensar.

Lewis Hine, no seu trabalho de denúncia do trabalho infantil, em inícios do século vinte, registava sistematicamente as circunstância que envolviam as suas fotografias. Fazia-o de uma forma magistral.
Com poucas linhas, os detalhes suficientes, traçava uma história que hoje conseguimos reconstruir e imaginar sem esforço, conjugando as suas imagens e as suas palavras.
Por vezes a coisa é romanesca, com vários personagens e enredos complexos. Outras vezes, tudo é clinicamente descritivo.

Na imagem abaixo, a legenda apenas amplifica o que pressentimos na imagem. O interior de uma escola segregada, miserável, para crianças negras, quase vazia, abre-nos a compreensão para o que não está lá. O que a legenda caracteriza com dados friamente apresentados:

"Recenseamento 27, Matrícula 12, Frequência 7. A professora espera ter 19 matrículas após o trabalho de colheita. O Tabaco mantém-os fora, há falta de braços."


Lewis Hine, Escola para negros em Anthoston,
Kentucki, E.U.A.
13 de Setembro de 1916
imagem obtida aqui


Lewis Hine,
Escola para negros em Anthoston (pormenor),
Kentucki, E.U.A.
13 de Setembro de 1916
imagem obtida aqui


Lewis Hine,
Escola para negros em Anthoston (pormenor),
Kentucki, E.U.A.
13 de Setembro de 1916
imagem obtida aqui

__________________________________________________________________

Sem comentários:

Publicar um comentário